quarta-feira, agosto 24, 2005

O Menino da Lua e O Pastor de Estrelas


Nota: Este é o conto de que mais me orgulho ter escrito e foi o que deu o nome ao blog. Espero que gostem.



- Mãe, olha a lua tão bonita! Posso ir lá ter?
- Não, meu querido. Só quem tem muito dinheiro. - respondia logo minha mãe
- Oh Mãe! Olha que lindo poema eu fiz para a lua!
- Estuda. Não faças essas parvoíces! - já era a resposta de minha mãe nos meus tempos de primária.
- Mãe! Vê a nota que a "stôra" de português me deu pela composição sobre a lua!
- Devias estar a estudar matemática. Não sejas cabeça-na-lua, cai na realidade. Estuda! - desesperava já minha mãe, vendo-me a escrever poemas e contos em vez de equações e gráficos, já no secundário.
Mas não conseguia evitar. Letras, palavras, frases, parágrafos, textos...uma pequena ribeira, depois um rio, a seguir um mar e por fim um oceano. Um oceano de mundos , cores, lugares, pessoas...um oceano de sonhos. Gostava de imaginar, de sonhar...
E assim fui crescendo.
Nos meus quinze anos encontrei, uma noite, um velho sentado num banco de jardim. Silencioso, olhava as estrelas e mexia os lábios como se lhes falasse. Curioso, aproximei-me dele e, a medo, perguntei:
- Que está a fazer?
- Estou a juntar as estrelas. - calmamente respondeu
- Como é isso possível? - a curiosidade tinha-se apoderado de mim.
- Chamo-as pelo nome - continuou o velho - Elas conhecem-me, sou o seu pastor.
- Quê?
- Sou pastor de estrelas. - afirmou o velho
Parte de mim dizia-me que ele era um louco e que me devia afastar. Já a outra parte, (quase de certeza a de menino sonhador) lá no fundo, acreditava nele e queria continuar a conversa. A segunda ganhou.
- Mas essa profissão não existe. E as estrelas não são como ovelhas... - disse eu, ainda mais curioso
- São-o no teu mundo mais precioso se assim o quiseres. - sossegava-me o velho - Basta quereres.
- Mas que mundo?
- O da tua imaginação, o dos teus sonhos.
- Mas é um mundo irreal, não existe. Minha mãe diz-me que devo ter sempre os pés bem assentes na terra e não andar a imaginar coisas. - disse, muito desconsolado pois era precisamente o que eu não queria admitir. Gostava do mundo dos sonhos. Gostava muito de sonhar, ainda que tudo o que sonhava não fosse verdade.
- Sabes, fui guarda nocturno por muitos anos. É dura a realidade de estar sozinho durante longas horas, a meio da noite. Foi aí que saí do duro e frio mundo da realidade para partir á descoberta do doce mundo da imaginação. E foi aí que achei a minha segunda profissão, a de pastor de estrelas. - contou-me o velho que , vislumbrando o céu, murmurou mais algumas palavras.
- Mas ninguém, nas pessoas que conheço, quer admitir esse mundo , só eu! - ripostei
- Nesse caso sonha para ti. Escrever ajuda um pouco a deixares a tua imaginação voar. Mas sobretudo sonha. - disse-me o velho - Não deixes de sonhar!
Já interessado ganhei confiança e perguntei-lhe:
- Há alguém a vigiar a lua?
- Olha que não. Gostarias de o fazer? - respondeu-me
- Pois sim. Ela sempre me fascinou! Parece uma bolacha a flutuar no meio do céu. É mágica, penso eu.
- Então, todas as noites, da janela do teu quarto, olha para a lua e fala com ela. Precisa de companhia....
E assim passei a menino da lua. Sem falta, todas as noites, olhava para a lua e falava-lhe. Contava-lhe histórias que ia inventando, recitava-lhe poesia, fazia-lhe confidências...a lua era a minha amiga. Não sei bem como, gradualmente as contas de matemática e outras ciências desapareceram do meu mundo. Restaram as disciplinas dos sonhos como o Português. Dediquei à lua poemas, textos banais que escrevia ou histórias saídas da minha imaginação fértil alimentada constantemente pelas mais diversas situações. Tudo me inspirava e inspira. O meu mundo expandiu-se, agora grita fortemente pelo direito à afirmação de um mundo que é das crianças por excelência. O mundo dos sonhos e da imaginação. Aquele mundo em que não se sabe distinguir entre o que é real e o que é fantasia pois a linha que separa os dois reinos é ténue, fraca. Não sinto vergonha alguma de viver neste mundo. Afinal, que mal tem ser sonhador? Sentado nesta secretária, olho as pilhas de escritos meus. Abro a janela e miro a minha lua, é de noite. Sou um fazedor de sonhos, sou o menino da lua e sobretudo sou....escritor.

12 Comments:

At março 05, 2005 11:40 da tarde, Blogger Ana Duarte divagou...

És mágica. =)

 
At março 07, 2005 1:49 da tarde, Blogger susana divagou...

k krida!
bigada

 
At março 14, 2005 8:33 da tarde, Anonymous flipitah divagou...

Oi SusY :) Os teus textos são maravilhosos.. M este, realment, é mt à frent ;P E eu cntinuo a trabalhar na ilustração!! :D *

 
At junho 23, 2005 11:39 da tarde, Anonymous Bábá divagou...

Já sabes o que penso do pastor de estrelas mas, uma boa peça merece sempre ser louvada! Assim, e mais uma vez, deixo aqui vestigios da minha admiração pelo teu menino da lua e sobretudo por ti. Continua a escrever coisas assim independentemente do que pessoas mais fechadas (como a nossa cat) te possam dizer.
Mts bjs******

P.s.- Agora só falta confessares quem é o dono do teu coração... Sim, porque estás a crescer enquanto mulher e pessoa e isso leva colaboração masculina! LOL! A mim não me enganas! LOL! Bjs***

 
At agosto 24, 2005 9:04 da tarde, Blogger susana divagou...

obrigada! =)

 
At agosto 24, 2005 9:30 da tarde, Blogger Espírito dos Sonhos divagou...

Então você gosta de contos. Conheço algo que lhe pode ser interessante. Vem de um dos livros de Eduardo Galeano, escritor brasileiro, se não erro. Ele conta que certo pai levou seu filho pela primeira vez ao mar. À beira d´água, o menino exatasiara e, em determinado momento, pediu ao pai:
- Me ajuda a olhar!

Beijos

 
At agosto 24, 2005 9:31 da tarde, Blogger Espírito dos Sonhos divagou...

Grafei errado: o certo é extasiara.

 
At agosto 26, 2005 11:00 da tarde, Blogger Maria divagou...

Olha que este texto agradou-me muito! ºwº

E queres saber porquê? Porque sinto-me igualzinha a ele. Sou sonhadora e digo a toda a gente "Que mal tem nisso?" Acho que raspas-te o meu passado cá para cima... ^w^

 
At agosto 29, 2005 12:46 da tarde, Blogger Espírito dos Sonhos divagou...

Querida, os sonhos são uma revelação da alma em seus instantes de liberdade. Se quiser ler sobre sonhos, o que modestamente escrevo, visite os blogs sonhosonhado e paisagemonirica, ambos hospedados no blogspot. Abraços.

 
At agosto 30, 2005 7:13 da tarde, Anonymous Nuno Pereira divagou...

Susana ou...... Pastora de Estrelas.

Como prometi acabei de ler este conto, ainda não vi o resto do teu blog. Tenho a acrescentar a todos estes comentários feitos por outros, sonhadores ou não, que está muito bom.

Para alguem como eu que não te conhece, nunca te viu ou ouviu, depois de ler este conto fica com a sensação que vais crescer muito, muito e bem! Com toda a certeza, com o passar dos anos, a tua maturidade como escritora e sonhadora, já excelente nesta altura, irá subir em flecha e ajudar-te a fazer textos ainda mais maravilhosos!

Continua o trabalho e acima de tudo continua a sonhar, porque sem dúvida alguma que são os teus sonhos que estão transcritos pelo menino!

Felicidades todas do mundo para ti.

 
At agosto 31, 2005 2:18 da tarde, Blogger Kish divagou...

:)
ta um texto querido.
ser sonhador e um processo na qual devs tar num nivel avancado

 
At setembro 21, 2005 10:19 da tarde, Anonymous Raquel divagou...

ola susana!! ha tanto tempo... o texto e lindo e xpero k t reveles ainda mais... os meus dons da escrita não são nada por aí além, mas com pessoas como tu, ke mais é preciso?? lol
Muitos beijinhos desta tua miga de ha mt, mt tempo...

 

Enviar um comentário

<

<< Home