segunda-feira, agosto 29, 2005

Ser de Sagitário

(este poema é uma brincadeira\crítica á minha personalidade - e sim, sou mesmo sagitariana e com Orgulho)

Aventureiro destemido (mas trapalhão)
Menino do ar, de rua (mesmo aos 65 anos)
Sonha mais alto que as nuvens (que o universo mais propriamente)
O seu mundo é a lua (e marte, e vénus, e plutão,...., enfim tudo menos a terra)

Metade homem, metade animal (que andam sempre a guerrear uma com a outra)
Ser que não possui qualquer mal (excepto o ter partido a jarra da mãe e não lhe ter dito)
Quer transcender-se, ser maior (sem saber que quanto mais alto se está maior é a queda)
Dos homens, o melhor (Fanfarronice 4ever)

3 Comments:

At agosto 30, 2005 7:32 da tarde, Anonymous Nuno Pereira divagou...

Susana,

Nunca tenhas medo de transcender-te, nunca penses que por estar mais alta a queda é mais dolorosa, é verdade, dói mais, mas é sempre preferível ter respirado a outra altura (mesmo que por pouco tempo), do que por receio nunca ter lá chegado.

Ficará a dúvida eternamente!!..... e se......e se....

 
At setembro 07, 2005 6:48 da tarde, Blogger Vagabundo divagou...

Olá Susana, tou em Fuga de retribiução á tua visita.
Voltarei pra Fugas mais vagabundas.
Bjs

 
At setembro 07, 2005 7:00 da tarde, Blogger susana divagou...

obrigada vagabundo!
pastorearei tmb mais vezes pelo teu blog!

 

Enviar um comentário

<

<< Home