sexta-feira, dezembro 02, 2005

Gota a gota no fio da navalha




(Edgar Allan Poe a mais, lol, este texto arrepia-me, custa-me a crer que o escrevi)

Sentia-me no fio da navalha, literalmente.
Estava preso no chão e em cima de mim, uma navalha pendular sustida por uma tina de água com um pequeno furo. A minha condenação à morte: gota a gota. A minha acusação:ser revolucionário. Vim parar a esta prisão à uns três dias, a navalha estava agora a uns escassos trinta centímetros de mim. Fui preso pela minha imprudência, estava a uns escassos momentos da morte e continuava a rir. O meu trabalho estava feito, era indiferente a minha morte ou a minha vida.
Sentia medo, é verdade, a navalha resplandescente sustia-se instàvel sobre mim. A qualquer momento algo ou alguém podia fazê-la desabar e era o fim. num rasgo de vento seria cortado ao meio como o mercador de carne corta galinhas, vacas e porcos. O sangue fervia-me nas veias mas ria, ria como um louco que acreditava na vida depois da morte. Como se obtesse alguma vez a redenção divina! Pelo menos depois dos actos que cometi. Tinha como companhia os ratos. Bichinhos incansáveis que incessantemente roiam as cordas que me prendiam. Faziam-me cócegas quando se aproximavam da minha pele ensanguentada pelas chicoteadas, talvez fosse por isso que ria tanto.
Nasceu o dia. O calor ofuscante da luz que emanava da minúscula janela do meu cárcere incidia furioso sobre a tina de água que lentamente se deixava evaporar. As horas foram passando: gota a gota. Ao cair da noite ouviu-se um raspar violento de metal na pedra. Nem um grito, nem um único grito.

9 Comments:

At dezembro 03, 2005 10:58 da manhã, Blogger Eremita Baptista divagou...

Lindo texto...li-o com satisfação...

saudações conventuais.

 
At dezembro 04, 2005 3:34 da tarde, Blogger GNM divagou...

Está muito bom este texto!

Também li muito sobre o mestre da literatura fantástica!

Um excelente resto de Domingo!

 
At dezembro 04, 2005 7:11 da tarde, Blogger Daniel Aladiah divagou...

Querida Susana
Está muito bom,parabéns!
Um beijo
Daniel

 
At dezembro 04, 2005 10:24 da tarde, Blogger Vagabundo divagou...

Ahhh... que susto!!! tou vendo que queres seguir as pegadas do grande mestre do terror e do absurdo!!!

Fica bem
Bj Vagabundo

 
At dezembro 06, 2005 8:48 da manhã, Blogger sandra m. divagou...

Olá! Obrigado pelo teu comentário no meu blog.

Quanto ao teu parece-me bastante interessante, principalmente este teu texto... nas pegadas do grande senhor do terror... e de forma muito prazenteira! Parabéns ;)

Obrigada por me teres dado a oportunidade de vir até aqui ;)

 
At dezembro 06, 2005 10:38 da manhã, Blogger maresia_mar divagou...

Olá.. ups arrepiante mesmo... grande texto sim senhor... Boa semana

 
At dezembro 06, 2005 9:55 da tarde, Blogger Cakau divagou...

Brilhante! :) *

 
At dezembro 07, 2005 10:19 da tarde, Blogger agua_quente divagou...

Houve uma época da minha vida em que li muito Poe e percebo bem essa compulsão para escrever um texto de terror... :))
Gostei muito. beijos

 
At dezembro 07, 2005 11:13 da tarde, Anonymous CASTOR divagou...

Que testemunho impressionante de um gajo que vai ser condenado à morte. Os últimos pensamentos de um prisioneiro ...

 

Enviar um comentário

<

<< Home